Como conquistar uma aposentadoria tranquila?

Soa repetitivo, eu sei, mas não nos cansaremos de avisar: o sistema de previdência atual não é sustentável. Se quiser saber o motivo, leia o post abaixo:

Confie no INSS, passe fome no futuro.

Provavelmente não haverá um “calote” do INSS; o que deve acontecer é que o valor das aposentadorias será cada vez menor

Fonte: Shutterstock

Se os aposentados de hoje já reclamam que contribuíram sobre 5 salários mínimos e recebem apenas 2, imaginem no futuro, onde teremos cada vez mais velhos e menos jovens… A tendência, infelizmente, é piorar muito! 🙁

Como, então, ter uma velhice decente?

Procurando construir, ao longo da sua vida produtiva, o maior número possível de fontes de renda passiva.

De maneira simplificada, geralmente se usa o termo “renda passiva” para classificar o dinheiro que ganharemos sem que seja preciso trabalhar.

Pode ser a nossa própria aposentadoria ou pensão, aluguéis de imóveis que você adquirir, juros de investimentos de renda fixa, proventos de ações (dividendos e juros sobre capital próprio), direitos autorais de algum livro que você escrever, patentes, enfim… tudo aquilo que colocar $$ no seu bolso sem que você precise mais trabalhar para ganhar.

Novamente simplificando (já que temos que considerar também inflação e o eventual “consumo” dos ativos – falaremos sobre isso no futuro), poderemos ter uma certa tranqüilidade quando atingirmos o padrão abaixo:

O segredo da tranquilidade: ter uma renda passiva maior que nossos gastos.

Ninguém falou que será fácil, ok? 🙂

Para atingir esse padrão, poderemos atuar nas duas variáveis: aumentar nossa renda passiva e reduzir nossos gastos.

Reduzir nossos gastos, principalmente as despesas fixas, é fundamental:

  • Primeiro, porque assim sobra mais dinheiro para investir.
  • Segundo, porque diminui a renda passiva necessária para nos sustentar.

Seja sincero, analise suas despesas (claro que você já começou a registrar os seus gastos, né? 😉 ) , e veja se as suas rendas passivas futuras sustentariam seu padrão de vida atual.

Se não sustentariam, é hora de começar a fazer ajustes! 😉

Até a próxima!

Você pode gostar...